A fidelidade masculina do meu pinto

Eu nunca me lembro de detalhes.

Há alguns dias, estávamos a curtir a companhia de algumas moças cheirosas e bem-apessoadas. A quem interessar possa, no momento resido no Japão, e as moças em questão eram japonesas legítimas, sem nenhum português e com escassas palavras disponíveis no inglês. Havíamos papeado por algum tempo, quando chega uma amiga das mocinhas, com um terninho preto. Meu queixo caiu, e meu pinto subiu.

Fui logo me amigando da moça, e meia hora depois estávamos sentados lado a lado, de mãos dadas. Acho que o nome dela era Asako, ou Asuko. Ela tinha um cheiro agradável, misturando perfume com suor.

A pior parte de se perder uma menina linda é perceber claramente qual foi seu erro. Essa é a parte mais difícil de aceitar. Você consegue ver claramente que o erro foi seu. A japinha, antes de eu me atrapalhar, chegou até a pedir meu telefone! Mas como foi que eu me atrapalhei? Eu fiquei com muita vontade de fazer acontecer, mas não quis deixar ela sem graça na frente das amigas. Grande erro.

Ela percebeu a minha indecisão, e menina nenhuma perdoa a indecisão masculina, seja no Brasil ou no Japão.

Quando eu vi que tinha me fudido, resolvi partir pra próxima. Olhei ao redor, detectei três lindas mocinhas e deixei o treinamento cumprir o seu papel. Desta vez meu pinto teria que saciar sua sede de sangue.

Anúncios

Mulher que não sabe trepar não tem desculpa

Uma das coisas mais inesperadas de minha curta vida foi descobrir que sexo é uma droga como qualquer outra. Sim, existem diferenças entre as mulheres, mas não muitas. Como eu não preciso ser politicamente correto, não tenho motivo pra mascarar a realidade. Se teu marido te diz que você é a melhor, ele está mentindo pra te agradar.

Não tem nada a ver com gostar ou não gostar da mulher. Pra falar a verdade, sexo é distinto de sentimentos. Sexo é vontade de ter a mulher entre os dentes. Uma mordida forte e gentil que puxa um bom naco de carne, mas que não machuca. Sexo é penetração.

Meninas aprendem todo tipo de bobagem pelos filmes, mas algumas conseguem aprender o que é sexualidade. Não é feito fácil, e por isso tem um gostinho de conquista. Para o homem, desvencilhar-se das inutilidades românticas de filmes é uma jornada. Jornada muita vezes dolorosas. Falo da minha própria experiência.

O amor dos filmes é o de duas pessoas que querem adormecer juntas, envelhecer juntas.

Eu quero que o amor dos filmes vá tomar no cu.


Asiática lindinha canadense na boate

A história começa comigo, sozinho no hostel pensando que era Sábado a noite. Sozinho em Las Vegas, cansado de viajar, querendo economizar dinheiro. Fui ao banheiro do meu quarto, que é munido de três beliches, uma pequena cozinha e até banheira. “Os padrões de Vegas são fantásticos quando se trata de hospedagem”, falei em voz alta, olhando para a banheira enquanto mijava. “Foda-se.” Resolvi trocar de roupa e partir pra Surrender, boite que fica no hotel Encore: é hoje que eu vou pegar mulher.

Embarquei no Deuce, sentindo um frio na barriga. Passei os vinte minutos da viagem imaginando o preço absurdo que iria pagar pra entrar.

Chegando lá, fiquei abismado com o tamanho da boate, com o jogo de luzes, com a ostentação. Da saída lateral eu via uma piscina povoada de sofás brancos na parte mais rasa. Ao redor da piscina, camas e sofás de veludo vermelho espalhavam-se. De um lado, um ambiente interno com mulheres maravilhosas dançando semi-nuas. Do outro lado, várias mesas de jogos: poquêr, roleta, blackjack. Virei-me para um dos leões-de-chácara do local e perguntei, em Inglês perfeito: “o lugar tem cara boa. o que que rola?” Ele disparou a sua resposta automática: “é a surrender nightclub, 30 dólares pra entrar, DJ blá e DJ blú vão tocar.” Sem piscar, perguntei: “e como eu faço pra entrar?” Ele deu uma risada e me disse: “vai na lista de convidados e diz que <nome dele> te colocou na lista.” Agradeci a gentileza e parti para o ataque.

Funcionou como um relógio. Agora estou dentro de uma das boates mais fodas do mundo, sozinho e bem-vestido, sem pagar um tostão sequer. Havia chegado cedo, então comecei a me ambientar antes de partir para a batalha. Conheci três sujeitos bem-apessoados, e nos dividimos em grupos de dois. Depois de zoar um pouco com esta menina e com aquela, começamos a caminhar pela pista de dança.

Vi uma linda asiática de vestido branco e óculos de nerd. Cheguei dizendo oi com olhos de raio laser, e ela parecia hipnotizada. Conversamos por uns cinco minutos. Conversa tão fiada que nem me lembro o que falei, porque realmente não importa. “Oi, meu nome é tal”, “você é gata”, etc. Peguei seu telefone e parti.

Algumas horas depois, estava sentado em um dos sofás e a vi passando. Chamei sua atenção e dois minutos depois já estávamos nos beijando.

What happens in Vegas stays in Vegas.


Sexo com gente de outros paises

Mais uma vez, peco desculpas pela falta de acentos, pois estou digitando este post em um computador sem as configuracoes adequadas.

Um dos grandes lances da vida e aprender a perceber e amar diferencas culturais. Algo inesperado, ao menos pra mim, era descobrir que diferenca cultural implica buceta diferente. Sim, eu comi bucetas de varias ascendencias geneticas.

Buceta asiatica e pequena. Alias, em uma certa feita, comi uma menina cuja buceta era tao apertadinha que eu fiquei ate meio assustado. Eu nao tenho pau tao grande assim, mas la pela metade senti que nao dava pra entrar mais nada. Eu tinha chegado no fundo da buceta da menina, e fiquei receoso de machuca-la. Por conta disso nao consegui curtir a transa normalmente, mas pelo menos nao causei nenhum dano permanente.

Mulher negra tem mais pegada, ou pelo menos as que eu peguei tinha muito mais fogo no rabo que as Japonesas. No entanto, acho que e um engano tentar generalizar tesao com etnicidade. Lembro de uma Japonesa que pulava ensandecida em cima do meu pau. Eu tinha que, literalmente, segurar a potranca pela cintura pra ela nao quebrar meu pinto. Sexo tem mais a ver com a cabeca do que com a informacao genetica.

Em geral, as Japas sao menos fogosas que as Coreanas, as Chinesas sao menos bem-informadas que as Tailandesas, e as Suecas tem menos pudor que as Brasileiras.

O mundo, no fim das contas, e grande pra caralho.

Recomendacoes?

Voce nunca sabe se uma estrangeira esta a fim de te dar ou nao. Pra falar a verdade, tenho certesza de que varios marmanjos conseguem puxar pela memoria casos em que acabaram comendo alguem que jamais imaginaram que comeriam. Se isso acontece mesmo entre pessoas do mesmo pais, imagine so com as barreiras da lingua, diferentes maneirismos e tudo o mais…

 


Como achar boas boites em cidades desconhecidas

Mais uma vez, peco desculpas pela falta de acentos, pois estou digitando este post em um computador sem as configuracoes adequadas.

Estou agora no meio de uma viagem cujo principal motivacao e curtir a vida noturna dos EUA, ao mesmo tempo que eu viajava sem preocupacoes profissionais. Um detalhe importante e que eu praticamente nao visito os pontos turisticos, pois prefiro dormir durante o dia e curtir a noite. Por exemplo, acabei de passar uma semana inteira em Sao Francisco, mas nao fui nem na Golden Gate nem no Union Square Garden. Algumas das poucas coisas que eu fiz durante o dia foi ir ao cinema, fumar maconha legalizada no parque Dolores, e caminhar pelo Mission District, olhando as paradas artisticas espalhadas por todos os lados.

Durante a noite, o papo e diferente. Eu fui a praticamente todos os clubs de Sao Francisco em menos de sete dias. Os dois primeiros dias foram principalmente para avaliar quais eram os clubs que tinham potencial, e quais eram bonitinhos mas ordinarios. Obviamente, algumas boites tem um ambiente legal, musica bacana tocando, e ate algumas mulheres desfilando sua graca, mas nao e exatamente um lugar em que coisas acontecem.

Depois de identificar quais eram os locais que mereciam mais tempo e carinho, cheguei a conclusao de que a regiao em torno da Valencia e 16th e a mais produtiva da cidade. Recomendo o uso de bom-senso ao visitar uma cidade desconhecida. Um bom reconhecimento do terreno ajuda muito. Outra coisa interessante de se fazer e bater um papo com os bartenders, pois eles sabem o que acontece, e nao costumam ter restricoes quanto a passar as coordenadas dos melhores locais.

Em San Francisco, recomendo o Elbo Room, e em Las Vegas a boite mais foda parece que e a Surrender, no Encore Hotel.

Onde voce mora e qual e a melhor boite pra se pegar alguem e levar pro motel?


Fudendo em Las Vegas, Sao Francisco e Seattle

Caros leitores, perdoem a falta de acentos neste post. A justificativa e que estou em um teclado Japones, e parece-me impossivel decifrar os caminhos atraves dos quais eu poderia adicionar o software necessario ao Windows Vista. Em resumo, e muito trabalho pra pouco resultado.

Trago novidades da terra do sol nascente, mas nao pertinentes somente as bucetas Japonesas. Vou anunciar num de repente: daqui uma semana embarco em um aviao pros EUA. Os planos sao de ficar uma semana em Sao Francisco, uma semana em Las Vegas, e depois uma semana em Seattle. Em Sao Francisco vou so curtir a paisagem, praticar minha habilidade de falar obscenidades em Ingles, e provavelmente comprar um par de sapatos novos, que estou precisando faz tempo. Las Vegas normalmente dispensa explicacoes, mas neste caso a excecao se faz presente: vou ficar no Venetian Hotel, junto com a galera que escreveu o livro The Game. Depois da esbornia garantida, embarco diretamente para Seattle, onde vou fazer skydiving e ir a um festival chamado Summer Meltdown. Vida complicada.

Bom, agora vem a pergunta que nao quer calar: que putarias eu devo falar pras gringas tesudas? Tive a ideia de deixar meu iPhone sempre a mao, junto com umas canetas daquelas de ponta grossa. Dai, durante ou depois da foda, eu puxaria uma caneta e comecaria a foder e desenhar ao mesmo tempo. Talvez, se a criatividade estivesse faltando, eu poderia simplesmente escrever: “Fuck me, please!” Ai, eu puxaria o telefone, ligaria a camera, e tiraria algumas fotos. Em nenhum momento eu tiraria meu pinto de dentro dela, e, caso ela comece a reclamar, eu usaria a infalivel tecnica de falar coisas nada aver.

Por exemplo:

– O que ce ta fazendo!? Pra que essa caneta?

– E porque eu to com sede. – desenha um copo d’agua perto da buceta dela, e depois vai la beber um pouco de “agua”.

Ou entao:

– Camera nao! Nada de foto!

– Que isso? To so gravando um vlog pro YouTube… – continua fudendo, liga a camera e comeca a falar igual ao PC Siqueira.

Caso voce tenha mais ideias, deixe nos comentarios abaixo.

🙂


Pegando mulher

Durante muito tempo procurei entender as mulheres. Desnecessário dizer que este tempo foi desperdiçado, embora não totalmente. Em minha busca encontrei recursos que me ajudaram a descobrir como pegar mulheres. Muito do que um pegador de verdade faz pode ser reduzido a princípios simples e concisos. Os passos podem ser aprendidos.

Claro que é mais fácil aprender de um professor, mas assim como em outros assuntos, o professor não é estritamente necessário.