Mulher que não sabe trepar não tem desculpa

Uma das coisas mais inesperadas de minha curta vida foi descobrir que sexo é uma droga como qualquer outra. Sim, existem diferenças entre as mulheres, mas não muitas. Como eu não preciso ser politicamente correto, não tenho motivo pra mascarar a realidade. Se teu marido te diz que você é a melhor, ele está mentindo pra te agradar.

Não tem nada a ver com gostar ou não gostar da mulher. Pra falar a verdade, sexo é distinto de sentimentos. Sexo é vontade de ter a mulher entre os dentes. Uma mordida forte e gentil que puxa um bom naco de carne, mas que não machuca. Sexo é penetração.

Meninas aprendem todo tipo de bobagem pelos filmes, mas algumas conseguem aprender o que é sexualidade. Não é feito fácil, e por isso tem um gostinho de conquista. Para o homem, desvencilhar-se das inutilidades românticas de filmes é uma jornada. Jornada muita vezes dolorosas. Falo da minha própria experiência.

O amor dos filmes é o de duas pessoas que querem adormecer juntas, envelhecer juntas.

Eu quero que o amor dos filmes vá tomar no cu.

Anúncios

Sexo oral

Eu não sei bem se dá, na cabeça das mulheres, a decisão de chupar o pau de um cara. No meu caso, acontece a despeito do que eu resolva pensar ou deliberar a esse respeito: tem mulher que eu chupo sem pensar e tem mulher que eu não chupo nem pensar. As moças que me desculpem, mas não é um processo racional, muito em bora eu possa tentar enumerar alguns fatores que – sem dúvida – influenciam o “processo”, se é que podemos chamar isso de processo: o beijo, o gosto do beijo, o cheiro da pele (perfume não conta, e homem sabe a diferença), a animação e o ‘entusiasmo’ da moça também contam, claro.

Eu me sinto um pouco como um analfabeto funcional quando tento ler os sinais ligados ao boquete. Isso não me frustra mais, apesar de me deixar meio sem chão vez por outra. O que acontece é que um homem acaba aprendendo a ler sinais por pura necessidade. Se eu não soubesse a diferença entre uma mulher que quer me dar e outra que não quer nem me beijar, não é exagero dizer que eu ainda seria virgem. Por mais injusto que seja, as mulheres simplesmente têm que dizer um “sim” ou um “não” pra conseguir o que querem. O lado positivo é que elas não passam fome, mas o lado negativo é que não aprendem direito como ler os sinais nós, homens, emitimos sem parar. Acreditem moças, já conheci mulheres por aí que me deu vontade de chupar depois de duas ou três palavras e olhares.

No caso das mulheres, tive que aprender a enxergar aquele momento em que elas decidem se gostam ou não de você. Depois de decidirem se gostam ou não, vem o momento meio crítico, que é quando elas olham pra você e avaliam mal e porcamente se você é gostoso. Não me levem a mal, mas não me refiro ao “gostoso” usado comumente. O meu “gostoso” inclui desde beleza física até bom humor, passando por beijos agradáveis e proficiência sexual. O problema começa por aqui… e a diversão também.

Depois dessa decisão favorável, a mulher está – de fato e de direito – aberta pra mim. Vez por outra eu gosto de atrasar um pouco o primeiro beijo ou a primeira transa. Esticar e protelar a impaciência gostosa que as mulheres sentem quando estão abertas. Talvez seja um pouco cruel, ou talvez seja somente uma vontade boba de querer aprender. Aprender, sim. Porque o que acontece é que as moças abertas são as mais difíceis de ler, e é nesse estado de abertura que elas se decidem sobre o boquete. Algumas parecem curtir o lance todo de ter um pau na boca e tal, enquanto pra outras aquilo ali é um suplício de tentar disfarçar a náusea e o desagrado. Eu tenho que respeitar essas moças que chupam mesmo quando não querem. Eu nunca forcei ninguém, mas também não neguei acesso (que eu me lembre).

Ainda assim eu me pergunto: pra uma mulher, o que é um boquete? E não consigo ler nada do que se mostra.


Essas mulheres…

Ela diz que eu sou namorado dela. Por conta disso, eu contraio débitos e créditos, digamos assim. Ela tem que me dar quando quero. Eu tenho que ligar pra ela pra conversar, senão ela diz que não tô nem aí pra ela.

Tem dias em que não tô nem aí pra ela.

Algumas outras têm certeza de que eu sou louco pra dar uns pegas. Faço charme, dou em cima, espero elas ficarem com vontade antes de sair fora. Elas juram que não querem me dar.

Essas eu só como se elas realmente me fizerem ficar com vontade.

Muitas estão por aí, inocentemente… me cumprimentam todos os dias de manhã, dizem oi, me dão um sorriso. Sabe quando você percebe aquela falta de malícia bem ali no jeito de andar? Acontece que sempre tem a olhadela de lado depois de sorrir.

É por conta dessa olhadela que realmente me faz ficar com vontade.

Mas o que me deixa preocupado são todas aquelas que não são nenhuma dessas de que já falei…


Top 5 Músicas pra Trepar

Também preferi não comentar…

1) Lovage: Music to make love to your old lady by…

2) Bloc Party: Silent Alarm

3) Maroon 5: It won’t be soon before long

4) Waking Life: OST

5) FatBoy Slim: Better Living Through Chemistry


Aos empreendedores pornográficos

Sugestão inocente pra empresários da indústria pornô: por que até hoje não existe um guia prático áudio-visual para o Kama Sutra? Tipo, com bastante conversa mesmo…

<cena 1>

Entra uma gostosa (siliconanda não serve, porque perde credibilidade nos gritinhos), apresenta-se para a câmera sem mostrar nem bunda nem peito. Entra o pintudo, apresenta-se para a câmera, ambos sentam em um sofá sexual daqueles que tem em motéis. Eles mostram alguma edição do Kama Sutra para a câmera e conversam (muito pouco e rapidamente) sobre o que é o Kama sutra, blá blá blá…

<cena 2>

Ela diz que quer experimentar uma posição que viu no livro, e os dois começam os malabarismos, e ela diz se tá gostoso assim ou assado…. se prefere mais rapidinho ou devagarzinho…

…né?


Os sexos na Tropa de Elite

Assisti (no cinema) ao filme Tropa de Elite. Recomendo sim.

Não, não tem sacanagem no filme… só aquela filhadaputa daquela esposa dando palpite no trabalho do cara! …eu te entendo, Cap. Nascimento.

Dedico este post a todos os maridos que já fizeram merda no trabalho por causa de alguma opinião estúpida de sua esposa. Vamos mandá-las pra onde merecem?

Em uníssono agora: vão cuidar das suas vidas, bando de mulher intrometida!

😡


Apenas goze

Vou construir uma linha de raciocínio bastante tortuosa, então já aviso de antemão que esse não é um daqueles posts fáceis e bonitinhos da blogosfera. Well… primeiro vou contar de minha situação atual: sentadinho cá em meu canto internético, digitando calmamente, bastante cansado de um dia cheio de trabalho, e ouvindo DJ Tiesto a todo volume.

O nome da música é Just Be… traduzindo: apenas seja.

É que já tem merda demais sendo enfiada nos nossos ouvidos… Já falam merda de Lula e de FHC e que política é uma bosta e que Brasília é lugar de ladrão, e que a violência tá cada vez pior, e que a malha aérea é uma desgraça, e que esse monte de merda aí…

Foda-se, né?

Pior que tem gente que fica enfiando merda no nosso rabo também… hrrmmm… quando digo ‘nosso rabo’, na verdade eu quis dizer ‘nossa vida sexual’. E isso pra mim é muito claro: controlar a vida sexual é controlar uma porra potente pra caralho.

Daí que vêm dizer que a gente tem que transar assim ou assado, e que não pode pegar gente gordinha, e que não pode ficar papando anjo, e que também não vai comprar fralda geriátrica né!, e que o que você precisa pra se sentir melhor e de um homem de verdade! ou de uma mulher de verdade! ou… de qualquer outra coisa ligada a sexo… desde que se ‘de verdade’.

O pior é quando você fica com vontade de satisfazer todos os ‘tem que’s que inventaram por aí. Aí fudeu.

Entra em cena a musicaça do Tiesto: apenas seja. Não é: seja gostosa; seja lascivo; seja pegador; seja recatada. É: seja.

Você consegue gozar com sua própria cabeça? Consegue deixar de lado as vontades e gozos alheios?